Trabalhador rural, você sabe se proteger?

maquinas agricolasO trabalho agrícola e florestal, dentre as características das atividades rurais, está na lista entre os mais perigosos, apresentando um grande número de acidentes graves. O trabalhador fica, diariamente, sujeito a muitas adversidades e riscos inerentes à sua profissão. Por isso, medidas de segurança visando à proteção dos trabalhadores são essenciais, e jamais devem ser esquecidas.

Dentre as exigências do trabalho florestal, podem ser destacadas:

  • Exposição permanente à intempéries (trabalho ao ar livre);
  • Trabalhos realizados em locais isolados, de difícil acesso;
  • Exigência de força muscular;
  • Utilização de equipamentos que exigem boa resistência física;
  • Alta periculosidade de máquinas e ferramentas.

Falta de treinamento, de qualificação, e muitas vezes até falta de percepção são fatores que acarretam um elevado número de acidentes de trabalho e doenças ocupacionais. Como exemplos, podem ser citados:

– Cortes, lesões, esmagamentos, surdez, dermatoses, quedas, intoxicações, etc.

Os trabalhadores, durante a qualificação, serão informados quanto à finalidade da tarefa e os métodos a serem aplicados, os riscos inerentes à saúde, utilização e manutenção das máquinas e ferramentas, utilização de EPI, etc.

O Brasil possui cerca de 35 milhões de trabalhadores no setor agrícola. De acordo com a Fundacentro*, aproximadamente 64% das operações de risco na agricultura e trabalhos florestais estão ligadas à atividades de colheitas e tratos culturais. Aí, estão registrados o maior número de acidentes.

O que fazer então para eliminar os riscos e, com isso, promover a segurança e proteção dos trabalhadores? Vamos analisar algumas situações, e as medidas preventivas aplicáveis a elas:

Ferramentas manuais

  • Em caso de dúvida, não as utilize sem a devida orientação.
  •  As ferramentas devem ser inspecionadas antes do uso, sendo o trabalhador responsável pela manutenção;
  • Em caso de defeito, o trabalhador deve comunicar imediatamente ao seu superior;
  • As ferramentas cortantes devem ter as lâminas protegidas quando não utilizadas;
  • Deve-se utilizar a ferramenta adequada para cada atividade;
  • Não jogue a ferramenta para seu colega de trabalho. Sempre a entregue em mãos;
  • Não carregue as ferramentas nos bolsos.

Motorroçadora

  • Usar o EPI adequado: botas de segurança, capacete com viseira, protetores auditivos e avental anti-projeção;
  • O motor deve ser acionado somente com a máquina sobre o solo;
  • O aquecimento do motor deve ser feito no “relantim”;
  • A distância mínima de segurança entre operadores é de 10m;
  • Se for se deslocar para um local longe, desligue a máquina;
  • No caso de pequenos deslocamentos, mantenha a embreagem bloqueada.

Motosserra

  • Sempre verificar os dispositivos de segurança;
  • Somente trabalhadores treinados e qualificados podem operá-la;
  • Utilização de EPI recomendado: luvas, capacetes com viseiras, protetor auricular, botas, etc.;
  • Deve-se manter uma caixa de primeiros socorros sempre perto do operador de motosserra, para o caso de acidentes menos graves;
  • Antes de ligar a máquina, certifique-se de que a lâmina não se encontra em contato com outros objetos;
  • Não apoie a motosserra em superfícies instáveis;
  • Quando em funcionamento, segurá-la com as duas mãos;
  • Em condições de frio intenso, utilizar a válvula reguladora da entrada de ar;
  • A distância segura entre operários deve ser respeitada, sendo definida como o dobro da altura da árvore a ser abatida;
  • No fim das atividades, limpe e lubrifique-a.

Aplicação de produtos químicos

  •  Armazenados em locais fechados a chave, longe de habitações e animais;
  • Nunca armazenar perto de produtos alimentares, vestuário, etc.;
  • O armazenamento deve ser feito em prateleiras metálicas e separados por classes, deixando os mais tóxicos para lugares de difícil acesso;
  • Os rótulos das embalagens devem ser mantidos;
  • Não guarde os EPIs no mesmo local dos produtos químicos;
  • Inspecionar periodicamente as embalagens para verificar se estão danificadas;
  • Leia o rótulo do produto antes de manuseá-lo;
  • Sempre que for manusear os produtos, usar o EPI recomendado;
  • Não ultrapasse a dose recomendada do produto;
  • Após utilizá-los, lave o corpo com água e sabão, principalmente o rosto e as mãos;
  • O local onde o produto foi aplicado deve ser sinalizado por pelo menos 48 horas;
  • Depois de utilizar os produtos, devolva as embalagens para o fornecedor.

Seguindo esses procedimentos, o trabalho torna-se mais seguro, e o trabalhador consegue se prevenir de possíveis acidentes ou doenças ocupacionais.

Fonte: http://www.ddsonline.com.br