Soldagem: a importância das máscaras protetoras e sua evolução tecnológica

soldaDa maneira que conhecemos a solda hoje pode-se contabilizar uns cem anos de existência, a soldagem tem o objetivo de unir duas partes de uma peça ou mais. Desde o início do uso da solda o manipulador teve que buscar uma proteção facial, principalmente a área dos olhos que é mais atingida por sua radiação e fagulhas.

No decorrer do século 19 o uso da solda foi potencializado e as tecnologias empregadas foram crescendo com a adição do arco elétrico e fontes geradoras de energia elétrica. Durante a segunda guerra mundial houve um crescimento mais acentuado decorrente da fabricação de navios e aviões e consequência disso os meios de proteção também acompanharam essa evolução.

O primeiro avanço desse equipamento de proteção individual EPI foi a inserção de lentes que escureciam automaticamente quando entravam em contato com o processo de claridade da solda. Apesar do uso da máscara vir de muito tempo atrás é recente o processo de auto escurecimento, foi desenvolvido em 1975, no mercado chegou apenas em 1981.

O desenvolvimento surgiu à partir de uma necessidade do sueco Eik Hornell ao ver o pai soldando e perceber que teria que melhorar o tipo de proteção usada para aquela atividade, após isso abriu uma empresa e começou a comercializar seu produto de alta tecnologia.

As máscaras usuais automáticas propõem uma visão clara e precisa, quando abre o arco escurece e inicia a soldagem, na interrupção volta a ficar clara.

Em meados de 1980 com o uso do LCD (liquid cristal display) na larga produção de monitores, televisores e celulares proporcionou maior acessibilidade as máscaras com auto escurecimento.

Os tipos de proteção para essa atividade compreende a máscara com filtro passivo ou convencional com filtros e lentes de proteção externa com menor custo e vida útil. Outra opção é a automática com auto escurecimento que o trabalhador não precisa levantar a máscara proporcionando maior conforto, enquanto a anterior é necessário levantá-la quando interrompe a soldagem provocando cansaço e fadiga, entre outras.

Os preços também variam de R$ 17,00 à R$ 900,00 de acordo com a tecnologia embarcada. A sua durabilidade é infinita de acordo com os cuidados no uso e armazenamento.

Para a proteção desses trabalhadores podem ser utilizados diversos meios, o controle do risco na fonte, no meio do processo através de diversas medidas e o primordial, fundamental tratar com os funcionários através de treinamentos e fornecimento desse EPI para a prevenção de acidentes e doenças ocupacionais.

É necessário ficar atento a proteção do trabalhador, pois quando o mesmo é atingido surgem diversos sintomas decorrentes a luminosidade insalubre da atividade proveniente das radiações ionizantes ou não ionizantes.

Os EPI´s mais recentes em suas tecnologias compreendem mais leveza, maior campo de visão, acoplar a outros equipamentos, ajustar a sensibilidade do trabalhador e design moderno.

Gestor, fique atento as inovações e lançamentos e proporcione uma melhor qualidade a seus funcionários, com essas inovações o funcionário pode evitar contaminação de contato com gases e vapores e ter um maior conforto em não ter que ficar movimentando a máscara durante sua atividade e a projeção é sempre que a tecnologia venha proporcionar bem estar e produtividade ao profissional.

Fonte: http://www.temseguranca.com

Notícias Relacionadas