Publicado em: 26 de setembro de 2016

Sipargs: NR 36 e o trabalho nos frigoríficos

A Norma Regulamentadora de Segurança e Saúde no Trabalho em Empresas de Abate e Processamento de Carnes e Derivados, marco regulatório específico para o setor frigorífico, trouxe importantes avanços para empresas e seus trabalhadores, claramente percebidos na redução da incidência de queixas de acidentes.

Em 2014, dado mais recente da Previdência Social, foram pouco mais de 704 mil ocorrências no país, sendo esse montante o equivalente a 1,42% da força de trabalho formal, índice que em 1972 chegava a 18,5%. O segmento de frigorífico avícola, nos últimos três anos, apresenta desempenho ainda melhor que a média nacional.

A abertura da economia brasileira da década de 1990 ajudou nessa profissionalização das empresas, inclusive as do segmento frigorífico. A implementação de escala de produção estimulou a adoção de melhorias nas condições de trabalho, sendo a principal a NR 36, criada com o objetivo de controlar fatores ambientais de risco no abate e processamento de carne. Previamente à construção da NR, muitas empresas já haviam promovido melhorias significativas em seus ambientes de trabalho.

Segundo o Fator Acidentário de Prevenção, do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), em 2009, o setor avícola estava no 48º lugar no ranking por frequência, em 44º lugar por gravidade e em 105º por custo. Em 2015, os índices ficaram em 207º, 300º e 341º lugares, respectivamente, com o consequente ganho para as empresas e seus trabalhadores.

Investimentos vêm sendo feitos em prol da segurança e saúde, na adequação de inúmeros postos de trabalho, inclusão de pausas durante a jornada, controle dos fatores de risco e monitoramento na gestão dos riscos ambientais, além do aperfeiçoamento dos marcos regulatórios.

Agora, um anexo da NR-36 está sendo negociado entre governo, empregadores e trabalhadores, com a finalidade de propor medidas alternativas de segurança para máquinas e equipamentos, que apresentem inviabilidade técnica para atender a atual NR-12. O projeto contemplou inicialmente três máquinas frigoríficas e já ocorreu neste ano.

A busca para nos tornarmos uma referência mundial em prevenção de acidentes do trabalho é de longa data. Razões estruturais dificultam o caminho, a começar pelo processo educacional do país, passando pela integração das políticas governamentais e ações dos diversos atores. Agregar as políticas, conciliando atitudes e comportamentos da sociedade em prol da prevenção de acidentes e doenças para melhoria da qualidade de vida é desafio de todos.

Sindicato das Indústrias de Produtos Avícolas no Rio Grande do Sul (Sipargs)

Fonte: http://zh.clicrbs.com.br

Notícias Relacionadas