Publicado em: 13 de outubro de 2014

Segurança no trabalho em foco

Segurança no trabalho em foco
Imagem meramente ilustrativa

Começou ontem o ciclo de palestras sobre segurança e saúde no trabalho que será promovido até o final de novembro nos principais canteiros de obras de Cuiabá e Várzea Grande pelo Grupo interinstitucional da 23ª Região da Justiça do Trabalho (Getrin).

A primeira palestra aconteceu no canteiro de obras do edifício New Avenue, na região do Coxipó, em Cuiabá. Cerca de 50 funcionários da obra assistiram à apresentação feita pela juíza do trabalho Rívea Reis, do Tribunal Regional do Trabalho 23ª Região, tirando dúvidas sobre o uso correto do Equipamento de Proteção Individual (EPI) e o papel da Comissão Interna de Prevenção de Acidentes de Trabalho (CIPA).

Visando identificar riscos e realizar mudanças necessárias no ambiente de trabalho para prevenir acidentes, a CIPA é obrigatória em empresas com mais de 25 empregados.

Na obra visitada – de responsabilidade da construtora São José – ainda não há comissão instalada, mas, de acordo com os funcionários, o cuidado com a segurança é constante no local. “O técnico de segurança está sempre chamando a nossa atenção, até mesmo a gente, que é do setor de serviços gerais, para tomar cuidado, usar o capacete, a bota. Quanto mais conhecimento melhor, porque a gente sempre está esquecendo”, comentou a auxiliar de serviços gerais, Jovelina da Glória Pereira.

O pedreiro Sílvio Xavier Vasconcelos reconhece a necessidade de conscientizar os trabalhadores sobre a importância da proteção. “Eu sempre uso o EPI, mas não são todos que fazem isso, muitos não têm esta consciência, acham que não vai acontecer com eles”.

Mais do que a falta de informação, a ausência de aplicação das normas é o fator mais crítico quando se trata de prevenção a acidentes de trabalho, conforme opina a juíza Rívea Reis. “Apesar de esta legislação existir há muito tempo, os trabalhadores estão em processo constante de aprendizado. Por parte dos empresários, não há falta de informação, mas sim de adoção destas normas”, disse ela, acrescentando que a segurança é tema de uma campanha nacional realizada pelo Tribunal Superior do Trabalho (TST), como parte do Programa Nacional de Prevenção a Acidentes de Trabalho.

O presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil de Cuiabá e Municípios (SINTRAICCCM), Joaquim Santana – que também integra o Getrin – lembra que além dos transtornos à saúde e à família do trabalhador, os acidentes geram gastos anuais de 2,3% a 4% do Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro, recurso destinado a pagamento de benefícios por acidentes e aposentadorias especiais. “Falta informação para os trabalhadores para que estes possam cobrar da empresa o cumprimento das normas, mas também fazer a sua parte”.

A agenda de reuniões nos canteiros de obras segue até o mês de novembro. Dia 14, a palestra será no edifício Arthé.

Fonte: http://www.diariodecuiaba.com.br