Programa troca informações sobre segurança na mineração

mineradora-traineeO Instituto Brasileiro de Mineração (Ibram) mantém o que aponta como a única iniciativa voluntária dentre todos os setores de atividade econômica para a saúde e segurança do trabalho. Trata-se do programa Mineração, formado por 15 empresas, que participam com a troca de informações e práticas ligadas ao tema.

A coordenadora do projeto, Cláudia Pellegrinelli, comemora. Segundo ela, mesmo com a crise econômica, nenhuma mineradora deixou o programa, e os esforços em reduzir o número de acidentes permanecem. “Há uma participação efetiva das empresas, que colocam suas boas práticas para que haja uma troca de experiência. Mesmo sendo concorrentes, existe esse agrupamento de informações”, disse.

Na tabela de riscos para a segurança do trabalho, do Ministério do Trabalho e Emprego, a mineração é uma atividade classificada como de grau 4, o mais alto. “Mesmo assim, os acidentes se mantêm estáveis nos últimos anos. Vejo que existe determinação e vontade para promover a segurança. A discussão sobre a taxa de fatalidade também é feita com todo esforço”, afirma Cláudia Pellegrinelli.

Requisitos

Ao aderir ao programa coordenado pelo Ibram, as mineradoras devem atender alguns requisitos, como se comprometer a criar um programa de gerenciamento de riscos e a adotar as práticas criadas pelos grupos de trabalho.

As empresas devem, ainda, fornecer dados internos de acidentes e doenças ocupacionais de seus próprios empregados e terceirizados.

Fonte: http://www.hojeemdia.com.br