Pesquisa: 14 milhões faltaram ao trabalho por motivo de saúde em 2013

Pesquisa: 14 milhões faltaram ao trabalho por motivo de saúde em 2013Qual problema de saúde que já fez você ficar em casa, sem condição de ir trabalhar? Segundo a Pesquisa Nacional de Saúde divulgada nesta terça-feira (2) pelo IBGE, 14 milhões de brasileiros passaram por isso em 2013.

Ficar de molho em casa, sem conseguir trabalhar. A pesquisa mostrou que isso aconteceu com 7% da população brasileira, ou 14 milhões de pessoas, duas semanas antes de serem entrevistadas pelo IBGE.

E quer saber o que derrubou essa multidão?

“Gripe. Mal-estar, dor no corpo, a cabeça pesada”, conta um engenheiro.

A gripe e o resfriado são mesmo as causas mais comuns de falta ao trabalho. Mas tem outras.

Maria das Neves: Coluna.
Jornal Nacional: A senhora trabalhou mesmo doente?
Maria das Neves: Sim.

A dor nas costas, no pescoço e na nuca já afastou 10,5 % dos entrevistados. As outras causas mais frequentes são dor nos braços, artrite, reumatismo. E ainda acidente, agressão ou violência, pressão alta ou doenças do coração.

A pesquisa de saúde do IBGE também revelou que o número de brasileiros que procuraram atendimento médico chega a mais de 30 milhões. Quase a metade faltou ao serviço. O restante disse que precisou continuar trabalhando, mesmo doente.

Fernando de Andrade, entregador: Do jeito que está essa crise braba, desemprego, é melhor segurar um pouquinho.
Jornal Nacional: Você está gripado?
Fernando de Andrade: Estou.

“Não dá para parar. O emprego fala mais alto hoje em dia”, diz o mecânico de refrigeração João Luiz.

“Quanto mais responsável e consciente é o seu gestor, maior tato ele vai ter para lidar com essa situação e indicar que o funcionário procure atendimento médico necessário, que descanse naquele dia para voltar produtivo no próximo dia útil”, explica a especialista em Recursos Humanos Ana Paula Montanha.

Tem um detalhe: a Ana Paula, que recruta funcionários para uma empresa multinacional, está com uma virose e já são 13 dias em casa trabalhando.

Fonte: http://g1.globo.com