Engenharia de segurança no trabalho

É o ramo da engenharia responsável por prevenir riscos à saúde e à vida do trabalhador. O engenheiro de segurança do trabalho tem a função de assegurar que o trabalhador não corra risco de acidentes em sua atividade profissional, sejam eles danos físicos, sejam danos psicológicos. Esse profissional administra e fiscaliza a segurança no meio industrial, organiza programas de prevenção de acidentes, elabora planos de prevenção de riscos ambientais, faz inspeções e emite laudos técnicos.

Assessora empresas em assuntos relativos à segurança e higiene do trabalho, examinando instalações e os materiais e processos de fabricação utilizados pelo trabalhador. Orienta a Comissão Interna de Prevenção de Acidentes (Cipa) das companhias e dá instruções aos funcionários sobre o uso de equipamentos de proteção individual. Pode, ainda, ministrar palestras e treinamentos e implementar programas de meio ambiente e ecologia.

Mercado de trabalho

“As empresas perceberam que é melhor investir na prevenção de acidentes e incidentes, evitando ter funcionários afastados de suas atividades diárias. Isso valoriza esse profissional”, diz o professor Almir Giovani Figueredo, coordenador do curso da Unorp, em São José do Rio Preto (SP). As indústrias do setor de infraestrutura, como a de construção civil, constituem as principais empregadoras. O setor está aquecido devido ao Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e à preparação do país para a Copa do Mundo e para as Olimpíadas. Segundo Figueredo, uma das especializações mais valorizadas é em meio ambiente. Em todas as regiões do país existe demanda, mas Sul e Sudeste, por reunir o maior número de grandes indústrias e companhias, concentram o maior número de vagas. No Centro-Oeste, o estado de Goiás tem vagas principalmente nas indústrias alimentícias.

Salário inicial: R$ 3.732,00 (6 horas diárias); fonte: CREA-SP

Curso

O currículo apresenta um leque variado de disciplinas. O aluno estuda muita física, química e matemática – matérias relacionadas à engenharia e à arquitetura, que dão conhecimento para os projetos de segurança e diagnósticos de riscos no trabalho. A grade abrange ainda filosofia, cidadania, antropologia e psicologia, fundamentais para que o estudante entenda os aspectos culturais e sociais relacionados à profissão. Além disso, há disciplinas mais específicas, como ergonomia (estudo da relação entre homem, meio e ferramenta de trabalho, a fim de proporcionar o máximo de conforto, segurança e produtividade), higiene do trabalho (ruído, vibração, temperatura), primeiros socorros, toxicologia e uso correto de máquinas, equipamentos e ferramentas. Antes de se formar, o aluno deve passar ainda por um estágio e apresentar um trabalho de conclusão de curso.

Duração média: quatro anos.

Outro nome: Eng. de saúde e seg.

O que você pode fazer

Programas de prevenção

Avaliar e preparar diagnósticos de riscos, além de fazer planos para a segurança de empresas privadas e instituições públicas.

Tecnologia

Criar equipamentos e máquinas que respeitem as condições de segurança do trabalhador e diminuam os custos das empresas.

Fonte: http://guiadoestudante.abril.com.br/