Publicado em: 25 de agosto de 2015

Dúvidas sobre calçados de segurança

montagemprodutosA popularização dos equipamentos de proteção individual (EPIs) vem crescendo cada vez mais, à medida que trabalhadores, principalmente nos setores industriais, estão tendo a oportunidade de entrar em contato com eles no seu dia-a-dia.

Conforme a NR 06 (norma regulamentadora), EPI é todo e qualquer dispositivo ou produto, de uso individual, utilizado pelo trabalhador, destinado a proteção de riscos suscetíveis de ameaçar a segurança e a saúde no trabalho.

A empresa é obrigada a fornecer aos empregados, gratuitamente, EPI adequado ao risco, em perfeito estado de conservação e funcionamento, sempre que, as medidas de ordem geral não ofereçam completa proteção contra os riscos de acidentes do trabalho ou de doenças profissionais e do trabalho; enquanto as medidas de proteção coletiva estiverem sendo implantadas; e para atender a situações de emergência.

Cabe ainda para a empresa, exigir o uso dos EPIs pelos seus funcionários durante a jornada de trabalho, realizar orientações e treinamentos sobre o uso adequado e a devida conservação, além de substituir imediatamente, quando danificado ou extraviado.

A eficácia do EPI

A eficácia do uso de um EPI não depende apenas da boa qualidade dele. É preciso um bom gerenciamento de um sistema de proteção individual. O sistema estará funcionando quando os funcionários estiverem utilizando um equipamento adequado para os riscos em que estão expostos, conscientizados da sua necessidade de uso, utilizando de forma correta e a empresa ter todo este sistema documentado.

Tipos de avaliações realizadas:

O EPI – equipamento de proteção individual – é um produto que está atrelado, na maioria dos países, à certificação compulsória por um órgão governamental. No Brasil, a certificação de EPIs é realizada pelo MTE – Ministério do Trabalho e Emprego por meio do C.A. – Certificado de Aprovação dos produtos. O C.A. é concedido aos fabricantes e importadores com base em testes em laboratório realizados no produto.

Os pés

Os pés são um ponto bastante vulnerável e bastante propício aos acidentes do trabalho. O chão sobre o qual eles se deslocam frequentemente é irregular. Sua superfície pode ser áspera ou lisa e escorregadia. Pode estar seca ou molhada. E quase sempre existem objetos pérfuro-cortantes (pregos, rebarbas metálicas, etc.). O ponto crítico da proteção dos pés, no entanto é a biqueira do calçado de segurança, a grande maioria dos acidentes com os pés ocorre por choque contra obstáculos, na parte dianteira dos calçados.

Quanto aos calçados de segurança

Uma das peças mais importantes em EPI, são os calçados de segurança utilizado em vários postos de trabalho. Existem diversas características de calçado de segurança profissional que podem ser aplicados em diversos setores, levando em conta os riscos que o trabalhadores estão sujeito.

O calçado de segurança para o uso profissional protege dos seguintes riscos

Químicos: pós, líquidos corrosivos, produtos tóxicos ou irritantes.

  • Elétricos.
  • Térmicos.
  • Derivados de radiações ou contaminação.
  • Mecânicos: choques, esmagamentos, perfurações, picadas.
  • Para a saúde ou incômodos relativos à sua utilização: alergias, irritações, desenvolvimento de germes, má adaptação ao pé, penetração de umidade, falta de flexibilidade, transpiração, entorses, luxações.

Recomendações para a sua utilização

Na utilização de calçado de segurança tenha em conta as seguintes recomendações:

  1. Utilize o número adequado.
  2. Sua utilização deve ser pessoal.
  3. Existem sapatos e botas. As botas oferecem maior proteção e estabilidade.
  4. Deve manter uma higiene adequada dos pés e do calçado de segurança, evitando o aparecimento de fungos e bactérias por causa do suor.
  5. Verifique o seu estado.
  6. Não utilize se observar a sola solta, a biqueira ou o cano deteriorado.

Manutenção

É muito importante manter o calçado de segurança em boas condições, para conseguir obter a sua máxima eficácia durante a utilização. Para isso deve ter em conta as seguintes recomendações:

  1. Devem ser limpos com regularidade seguindo as instruções do fabricante.
  2. Devem secar-se quando estiverem úmidos, sem aproximar demasiado de uma fonte de calor.
  3. Devem ser guardados num local adequado (limpo, seco, etc.).

Lembre-se que os sapatos são testados para durar no mínimo 6 meses. Mas caso de não durarem, procure o técnico de segurança. Ele autorizará a retirada de um novo. É importante, ainda que o calçado de segurança seja confortável.

A Protefort

A Protefort é uma indústria especializada na fabricação e comercialização de calçados de segurança, dentre eles: botas, botinas, sapatos, coturnos e militares com qualidade, estilo, robustez e muito conforto.

E se você quiser unir qualidade e custo beneficio, sua melhor opção é Protefort!

Veja nossos calçados de segurança