Cerest realiza evento sobre saúde mental do trabalhador

Cerest realiza evento sobre saúde mental do trabalhador Com o objetivo de sensibilizar profissionais e estudantes das diversas áreas para uma maior atenção à saúde mental do trabalhador, o Centro de Referência em Saúde do Trabalhador (Cerest) de Maceió, em parceria com diversos órgãos municipais, estaduais e federais, realizou o II Seminário em Saúde Mental e do Comportamento Relacionado ao Trabalho. O evento contou com a presença do secretário adjunto de saúde de Maceió, Eugênio Leite, e foi realizado na última quarta-feira (29), no auditório do Centro Universitário Tiradentes (Unit). Além de outros participantes, também estiveram presentes Hildeth Neiva, da Coordenação de Saúde Mental de Maceió, Tereza Tenório e Malba Cavalcante, representantes da Gerência de Saúde Mental de Alagoas, e o presidente do Conselho Regional de Psicologia, José Felix Vilanova Barros.

A programação contou ainda com a exposição de trabalhos realizados pela Ong Renascer, composta por mulheres que tiveram câncer de mama, e a divulgação da livraria Cantinho do Psicólogo, especializada em Psicologia e que fez a doação de obras para os participante

A primeira mesa de discussão foi sobre o tema: O trabalho como elemento estruturante da vida: Desafios do Mundo Contemporâneo, onde o historiador Cláudio Jorge discorreu sobre a Importância Social do Trabalho e o psicólogo Carlos Frederico apresentou o tema “O Trabalho Como Fator Estruturante do Sujeito”.

Segundo dados da Organização Mundial da Saúde (OMS), agravos ligados à saúde mental são os que mais acometem os trabalhadores, gerando o afastamento do trabalho. De acordo com Carlos Frederico de Oliveira, psicólogo clínico da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), esse adoecimento mental do trabalhador é decorrente da precarização do processo de trabalho. “É preciso que instituições e empresas desenvolvam ações de prevenção e promoção à saúde dos profissionais, com o objetivo de prevenir esses agravos e melhor a qualidade de vida no trabalho”, explica.

Ainda segundo Carlos Frederico, o valor social do trabalho tem que ser pensado sob a ótica da humanização, onde devem ser resgatados princípios básicos da Política Nacional de Humanização (PNH) para uma melhor relação do indivíduo com suas atividades laborais.

O Trabalho e Os Fatores de Riscos Psicossociais foi tema da segunda mesa de discussão e contou com a participação da médica Floripes Viegas, do psicólogo Manoel Alencar e da médica Francine Loureiro. Um dos aspectos abordados foi a prática do profissional que atua junto à saúde mental do trabalhador, além dos agravos e riscos mais recorrentes no ambiente de trabalho.

De acordo com Manoel Alencar “é preciso inverter a lógica da Qualidade de Vida no Trabalho para Trabalho com Qualidade de Vida, pois ações pontuais que proporcionam momentos de descontração e relaxamento sem alterar os riscos psicossociais a que os trabalhadores estão expostos não resolvem o problema”.

Organizado pelas psicólogas do Cerest, Patrícia Vieira de Souza e Karol Félix, o evento apresentará a identificação dos reais problemas que os trabalhadores encontram em seu cotidiano. “O material construído nesse encontro será utilizado como fonte de discussão no Núcleo Interinstitucional em Saúde Mental e do Comportamento Relacionado ao Trabalho”, explicou Patrícia.

Karol Felix destacou que a realização do evento foi possível graças às parcerias firmadas. “Através desse trabalho em conjunto que iremos construir o caminho da Saúde Mental do Trabalhador em nossa região”, finalizou.

Fonte: http://aquiacontece.com.br