BNDES aperta financiamento para grandes empresas

BNDES aperta financiamento para grandes empresasBrasília – A indústria produtora de máquinas e equipamentos carregou parte da economia este ano, mas, nem por isso, livrou-se do corte do orçamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O ministro da Fazenda, Guido Mantega, admitiu a uma plateia de 2 mil empresários e sindicalistas que a indústria foi o setor que mais sofreu com a crise. Em seguida, anunciou taxas de juros maiores para o Programa de Sustentação do Investimento (PSI) em 2014. Para este ano, a expectativa é que o programa feche com a liberação de R$ 80 bilhões.

Os juros para compra de máquinas e equipamentos subirão já a partir de janeiro, de 3,5% ao ano para 6% ao ano para as grandes empresas. Para as micro e pequenas, a taxa passou para 4,5% ao ano. As menores continuam podendo financiar até 100% do investimento, mas as grandes, somente 80%.

Para caminhões e ônibus, outro destaque na economia em 2013, a taxa passará de 4% para 6%. As pequenas empresas poderão financiar até 90% do investimento e as grandes, 80%. Na linha Pro caminhoneiro, a taxa sobe de 4% para 6%, mantendo a possibilidade de financiar o valor integral.

As condições mais favoráveis de financiamento foram mantidas para inovação, segmento que teve os juros elevados de 3,5% para 4%. Para as micro, pequenas e médias empresas, permanece a possibilidade de financiar 100% do valor, enquanto para as maiores o limite passa a ser de 80%.

Já as taxas da linha de exportação foram elevadas de 5,5% para 8%, com limite de cobertura de 80% para as grandes empresas e de 100% para as menores.

O presidente do BNDES, Luciano Coutinho, prevê uma corrida por financiamento neste fim de ano, embora considere as novas condições ainda atrativas se comparadas à taxa básica de juros, a Selic.

Também o presidente da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Robson Andrade, aprovou as mudanças no PSI e considera balanceada a alta dos juros.

Fonte: http://brasileconomico.ig.com.br