28 de fevereiro: trabalhadores com LER/DORT sofrem com dores

Brasília/DF – As Lesões por Esforços Repetitivos e os Distúrbios Osteomusculares Relacionados ao Trabalho (Ler/Dort) são danos causados por movimentos excessivos, irregulares e intensos os quais desencadeiam dores no sistema musculoesquelético, geralmente nos membros superiores que possibilita lesões no sistema tendíneo, muscular e ligamento.

A pessoa diagnosticada com a doença Ler/Dort sente dor crônica no punho e na mão, bem como formigamento nos dedos ao executar atividades manuais. Além disso, as queixas também englobam desconforto, fadiga, sensação de diminuição de força, falta de firmeza nas mãos e enrijecimento muscular. Nos casos graves, o trabalhador não consegue realizar as suas atividades laborais de forma plena e tem dificuldade também de fazer a sua higiene pessoal e domésticos.

Há 19 anos, o dia 28 de fevereiro, é considerado o Dia Internacional de Combate às Lesões por Esforços Repetitivos ou Distúrbios Osteomusculares Relacionados do Trabalho (DORT), para falar sobre o tema, o Programa Piloto “Fundacentro Entrevista” conversou com a médica e pesquisadora da instituição, Maria Maeno.

Para Maeno, a prevenção é importante. Para isso, é fundamental que as relações de trabalho sejam dignas e que os trabalhadores possam desenvolver as suas atividades de forma efetiva, útil e relações boas com a chefia e com os colegas de trabalho. Porém, a médica salienta que muitas vezes a realidade, infelizmente, não é assim.

“A organização do trabalho que obriga os trabalhadores se esforçarem além do que eles podem – tanto no ponto de vista físico quanto psíquico, faz com que eles adoeçam”, informa a pesquisadora.

O combate às Ler/Dort é realizado em conjunto entre empregadores e funcionários, bem como o conhecimento dos agentes causadores de doenças e iniciativas de prevenção das doenças ocupacionais são fundamentais para um ambiente laboral saudável.

Fonte: http://www.protecao.com.br/